Ativistas e militantes de mais de 80 entidades dos mais distintos partidos e movimentos, das mais diferentes crenças e opiniões e lutamos pela liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva através do Comitê que organiza sistematicamente a campanha Lula Livre. O que importa é que estaremos unidos até que a injustiça seja reparada e Lula reconquiste a liberdade.

Lula sempre esteve ao lado de quem nunca teve justiça. Com ele, estão presos os direitos dos trabalhadores, a soberania nacional e os sonhos dos brasileiros por uma vida mais digna.

Sabemos que a prisão política do ex-presidente está relacionada com o processo político em que passa o Brasil e o mundo. Por isso, junto com a bandeira da liberdade erguemos também a da democracia e da justiça. 

Abra o Comitê Lula Livre

Propomos a organização de amplos setores nas redes e nas ruas, um movimento que agite com debate e discussões as rodas de conversas, que chame o povo para conversar, ouvir, aprender e caminhar junto e também ocupe as ruas, os espaços públicos, as atividades do movimento social e sindical que tenham como objetiva a liberdade do ex-presidente Lula.

Como se organiza?
A Campanha Lula Livre se organiza principalmente por meio de comitês, que reúnem representantes de todas as organizações e forças políticas que aderem à nossa luta. 

COMITÊ NACIONAL
A principal instância de formulação e de decisão da campanha é o Comitê Nacional, com cerca de 80 representantes, que define a linha política e a estratégia globais da campanha.
COMISSÃO EXECUTIVA NACIONAL E SECRETARIADO
Abaixo do Comitê está a Comissão Executiva Nacional, assessorada pelo Secretariado. Cabe à Comissão botar o bloco na rua, ou seja, fazer a campanha acontecer na prática. Ela é composta por cerca de 20 representantes dos movimentos que integram o Comitê Nacional.
O Secretariado é uma instância de assessoria e articulação, responsável por cuidar da comunicação, da mobilização e da organização da campanha. Também desenvolve ações na área da cultura. 
O Comitê Nacional é a fonte principal de produção e distribuição de conteúdos da campanha, mas cada comitê estadual, municipal ou popular tem plena autonomia de produzir seus próprios materiais, refletindo a lógica local.
Cabe também ao Comitê Nacional propor uma agenda unificada de atividades em datas simbólicas ou que exigem ampla mobilização. 

COMITÊS ESTADUAIS E MUNICIPAIS
Os Comitês Estaduais são responsáveis por organizar a campanha em cada estado, adaptando a luta política nacional à realidade local. Também são responsáveis por incentivar a criação de comitês nos municípios e orientar a ação desses comitês.
Cada comitê – seja ele municipal, estadual ou nacional – pode e deve desenvolver atividades em seus locais de atuação e na internet, criando as condições para que nossa mensagem chegue cada vez mais longe. 
Os comitês devem se reunir com periodicidade, para garantir que a campanha tenha continuidade e acumule forças.  A Comissão Nacional, por exemplo, se reúne quinzenalmente.

COMITÊS POPULARES E COLETIVOS INDEPENDENTES
Também fazem parte da campanha comitês populares e coletivos independentes, organizados por militantes e ativistas que acreditam na inocência de Lula e defendem sua liberdade. O trabalho desses comitês é fundamental! 
Existem, por exemplo, comitês populares criados na casa de militantes, e coletivos de artistas, que fazem intervenções culturais em suas cidades e espaços de atuação. 
A campanha valoriza muito esse tipo de iniciativa! Elas são fundamentais para falarmos cada vez com mais gente!

COMITÊS DIGITAIS
Além de se reunir presencialmente, os participantes da campanha podem apostar nas ferramentas digitais para se organizar e ampliar o alcance de nossa luta.
Criando grupos de whatsapp, comunidades e páginas no Facebook, entre outros mecanismos, fica mais fácil manter os participantes em contato e a campanha ativa por meio desses “Comitês Digitais”.
Os Comitês Digitais devem estabelecer regras de funcionamento e de segurança, mantendo o debate ativo e impedindo que pessoas que só querem espalhar mensagens de ódio e atrapalhar nosso trabalho se infiltrem e inviabilizem o grupo.
O Comitê Nacional disponibilizará continuamente conteúdos audiovisuais para agitar as redes e prover os militantes de argumentos e informações relevantes sobre a campanha. 

VIGÍLIA LULA LIVRE
Desde o dia em que Lula foi preso, muitos militantes passaram a se concentrar ali na frente da sede da Polícia Federal em Curitiba. Se constituía assim a Vigília Lula Livre, que, todos os dias, realiza atividades culturais, religiosas e políticas, recebendo gente de todo o país.

COMITÊ INTERNACIONAL
Formado por grupo de entidades nacionais e personalidades o “Comitê de Solidariedade Internacional em Defesa de Lula e da Democracia no Brasil”  tem como objetivo enfrentar este perigoso quadro político  que requer  o apoio de personalidades e organizações do meio político e social de outros países.